Começamos a existir Naquele Sonho que faz realidade todos os outros, derramando o Seu amor, através do amor de dois seres humanos, e, no milagre da vida, descobri-mo-nos capazes de pensar, de amar, de chorar, mas também de sorrir. Misturando este sonho, agitado pela vida, assim pensamos... e do pensar a letra se faz, e da Palavra se recomeça de novo, como na Origem.

14 dezembro 2005

Uma Pausa que nos transforma (II)

Isto de pausa continua a ter muito que se lhe diga. O tempo "rende" quando estamos numa pausa... outras vezes passa a correr! Sei lá onde é que a vida me vai levar... certamente não me levará sem mais... nem muito menos para onde eu não queira... isto se tiver os pés, como barco ancorado em porto seguro.
Às vezes não temos claro o que queremos fazer... andamos horas, dias e talvez meses à deriva... Será possível que também andemos anos?! Ao olhar para a vida sinto que não descobri ainda qual a o conteúdo desta caixa de surpresas...
Se tivermos um sonho para sermos felizes não temos de nos preocupar muito para realizar esse sonho desde que ele corresponda ao sonho que um Outro Alguém tem para nós... aí ele estará seguro, nós próprios estaremos seguros e apenas temos que nos deixar guiar por essa brisa suave que na nossa vida nos orienta constantemente, desde que nós deixemos. Que difícil é aceitar às vezes as mudanças de rumo na nossa vida!!! Em vão corremos... à meta que queremos não chegamos. Mas bem, "Chegamos, não chegamos?!/ pelo sonho é que vamos!", escreveu um poeta um dia. E a chegar... Estamos a chegar ao Natal. Mais do que vir agora, Ele vem ao nosso encontro, em cada homem e em cada tempo, para que o recebamos na fé e na caridade... Que difícil às vezes é vê-lo nos outros e fazer de cada dia natal e de cada Homem o Menino. Se é verdade que cada novo dia é como uma nova flor que desabrocha nas nossas mãos, então quero ter a alegria de saber tratar do meu jardim, de saber colher as flores e de as colocar no altar da vida, como oblação perfeita. Se a nossa vida não for um dom... de nada serve. Podemos ter muitas esperanças e muitas alegrias, mas serão efémeras e incumpridas se não estivermos abertos ao Dom.
Quando será o kairos que espero tão ardentemente?! É complicado... a dúvida assalta-me... já o aqui escrevi e é verdade... Estar disposto a arriscar às vezes não é tudo... Eu estou disposto e no entanto falta qualquer coisa! E que qualquer coisa... Não sei muito bem o quê, nem como mas que falta, falta. É fácil às vezes sermos felizes porque sentimos prazer no mal dos outros. Quantos felizes, mesmo se alguém está infeliz... Eu próprio posso fazer o mesmo, infelizmente.
Ai que "raio" de vida que nos volta de cabeça para baixo e não nos deixa endireitar...
Mas será que ha alguém que nao tenha problemas?! Não me parece... bem, mas temos sempre os amigos que nos podem ajudar... temos, não temos? Nós estivemos lá quando eles precisaram... e porque é que eles agora não estão? Apenas ficam uns poucos... o resto foge como a areia sacudida pelo vento, sem poder, ou melhor não querer, voltar...
Não invejo a sorte de quem é feliz... caminho também eu para a felicidade. Pelos espinhos, mas caminho e, corro para alcançar... não creio que seja fácil, não está a ser... mas há-de passar a tempestade e vir a bonança... custa um pouco quando se anda sem bússula nem caminho certo... mas se até o ouro se purifica no crisol, quanto mais?...
Luz terna suave, leva-me mais longe
E quando faltar apenas um passo para a Ti chegar
Mostra-me o Calor que aquece...
A Luz que não se apaga...
E é essa praia onde tenho de chegar
que me continua todos os dias a fazer navegar...
Na verdade, nem sempre foi como hoje que te peço
mas ao fim terei abrigo e acesso
Ao Teu porto seguro, á Tua plena luz...
Dá-me a Tua mão e não terei medo
Meus passos a andar hão-de ser firmes
se Tu me deres a mão...
Luz terna, suave no meio da noite...
Esta é a noite... Vai raiar nova madrugada...
Depois de um dia virá a noite, e da noite
virá o dia que não mais se apaga...
Na noite desta vida, com ténue luz acesa,
esperamos alegres
Maran-thá!

1 comentário:

Pe Ângelo disse...

a liturgia das horas é um bom conforto para as nossas vidas, pricipalmente para o espírito. os hinos da noite levam-nos a altos e belos vôos...
coragem...