Começamos a existir Naquele Sonho que faz realidade todos os outros, derramando o Seu amor, através do amor de dois seres humanos, e, no milagre da vida, descobri-mo-nos capazes de pensar, de amar, de chorar, mas também de sorrir. Misturando este sonho, agitado pela vida, assim pensamos... e do pensar a letra se faz, e da Palavra se recomeça de novo, como na Origem.

14 fevereiro 2007

Apenas Tu saberás...



Nas Tuas mãos, meu Deus eu me abandono.
Modela este barro como a argila em mãos de oleiro.
Tu sabes o que queres fazer de mim.
Então vem, toma-me e age em mim,
que em mim se faça a Tua Palavra.
Que em mim mostres o Teu amor.
Amor sem o qual não posso viver,
para o qual fui criado.
E sim, ò Pai, dá-me o amor da Cruz.
De cada cruz do meu dia.
Não de "cruzes" de heroísmo,
mas de todas as que simples, carrego,
por vezes obstinado,
perguntando o porquê...
A cruz das contrariedades,
a cruz dos esquecimentos,
a cruz dos fracassos,
a cruz dos meus pecados,
a cruz da frieza e dos desprezos alheios,
tantas Senhor, só tu sabes...
E se continuarem a perguntar o porquê,
se aos olhos do Mundo perguntarem qual o motivo,
No silêncio Tu saberás que Te amo.
Na verdade, ainda que mesmo eu o não saiba,
Tu sim, sabes.
E isso me basta.
Então serei feliz.

1 comentário:

fredy disse...

Olá !!!
Como é bom por vezes sentirmo-nos amados pelo Pai,mesmo quando o sabemos que não estamos em condições de dizer o quer que seja ou pedir.
Mas sermos acarinhados e alimentados poe Ele faz-nos crescer e eassim podermos dizer que nos sentimos aves que voam livres para junrto do Pai Celeste.