Começamos a existir Naquele Sonho que faz realidade todos os outros, derramando o Seu amor, através do amor de dois seres humanos, e, no milagre da vida, descobri-mo-nos capazes de pensar, de amar, de chorar, mas também de sorrir. Misturando este sonho, agitado pela vida, assim pensamos... e do pensar a letra se faz, e da Palavra se recomeça de novo, como na Origem.

30 junho 2007

Fim do... ano lectivo...

Quem costuma ler as palavras soltas que por aqui vou escrevendo, pode acompanhar, num blog espécie de diário espriritual, o meu percurso. Concluí mais um ano lectivo. Antes, e mais objectivamente, um semestre lectivo. As novas experiências mais uma vez marcaram fortemente este período, além das novas matérias, é claro. Não posso deixar de testemunhar a mais-valia disto... e algum penar por não sabermos o que nos reserva o futuro. Numa comunidade inter-diocesana, que bom seria ver que demos tudo quanto tinhamos pelo bom nome da instituição e pelas garantias que poderia ter. Se não as tem, não podemos ilibar-nos das culpas que nos são devidas, mas constatamos, sinceramente, que muito mais haveria de ter sido feito antes de chegarmos a este ponto. Àqueles que o não fizeram, poderemos agradecer estes momentos de incertezas que vagueiam, ou deveriam vaguear, de forma omnipresente, no pensamento daqueles outros, ou dos mesmos, que têm responsabilidades a cumprir... Boas férias a todos, e perdoem o desabafo!

1 comentário:

Salcedas Duarte disse...

Clarividente o suficiente... Não basta deitar abaixo, é preciso, antes de mais, lutar pela causa comum...
Comungo plenamente a opinião que aqui é "transpirada", no que há causa comum concerne :)